Izabella Cordeiro

Aquarela e Lifestyle

Dicas de sobrevivência para expor em sua primeira feira de arte


Chega o momento em que o artista/ desenhista/ ilustrador vai participar de uma exposição em uma feira de arte e aí surgem grandes questionamentos sobre o que levar, quanto levar, será que alguém vai comprar? Calma! Vou contar tin-tin por tin-tin de como sobreviver em sua primeira feira de arte!

Expor em uma feira sempre foi uma vontade que tive e em 2017 consegui realizar isso duas vezes! Uma das coisas mais bacanas e assustadoras quando vamos expor junto de outros artistas é o medo da rejeição. Neste post eu quero falar um pouco como foi minha experiencia e algumas dicas para quem quer participar de sua primeira feira.




 Apresentação


  • A qualidade é melhor que quantidade.
Não adianta perder as estribeiras dizendo que você só tem 5 ilustrações para levar, e fazer umas 50 correndo para aumentar a quantidade na sua mesinha, isso não fará diferença se a qualidade dos trabalhos for péssima. Não existe uma quantidade ideal, tudo vai depender do movimento da feira, mas eu prefiro optar por variedade e no máximo 3 cópias de cada arte.

  • Escolha a dedo como quem escolhe feijão.
Antes de sair por aí imprimindo coisas aleatórias, escolha a dedo quais são seus melhores trabalhos, aqueles que você se orgulha e quer que alguém leve pra casa. Pense em como irá apresentar essas maravilhas que você criou. Uma mesa limpa e organizada ajuda os clientes a ver e entender o que você está oferecendo.

Separe potinhos, caixinhas, molduras, tudo o que facilite a visualização as suas artes, assim o cliente pode ver como ficaria em sua casa caso ele comprasse.

  • Saiba sobre sua feira
Outro passo importante é saber o tamanho da sua mesa, quantos artistas irão, lá tem comida? Água? Banheiro? Quantas horas você vai ficar lá? Parece bobo, mas é um fator importante pois assim você se prepara. Leve alguém com você se for possível, assim se precisar sair da sua mesa terá alguém que ficará ali por você.

Caso não tenha uma maquininha de cartão, veja se a feira disponibiliza. Acredite, muita gente não leva dinheiros.

Dica! Coloque o preço visível, as pessoas não gostam de ficar perguntando.

  • Capricha no pacote!
Quem resiste a um embrulho bonitinho? Eu sou apaixonada por embalagens e envelopinhos cheios de coisas fofas. As pessoas que compram em feira de arte independentes de artistas como eu e você dão valor a essas pequenas coisas. Então prepare um pacote com um brinde, nem que seja um cartão de visita feito a mão mesmo.

Coloque detalhes, eles fazem diferença e mostram todo carinho que você tem por sua arte.


O que levar? 


Você quer muito participar de uma feira, mas não sabe o que fazer com sua arte? Fiz uma listinha de coisas que você pode fazer com elas e ter sucesso em suas vendinhas.

- Adesivos
- Posters A5, A4 e A3
- Marcadores de Página de variados tamanhos, grossuras e formas.
- Cadernos artesanais
- Obras originais
- Personalizados com desconto sobre encomenda
- Cartão Postal
- Ilustração em outros formatos (redondo, triangular, etc)

Esses são alguns itens básicos, mas se você é super criativo e gosta de artesanato, então mãos a obra nas confecções de pecinhas lindas em diversos materiais diferenciados. 
Como disse anteriormente, não grile com a quantidade de coisas e sim com a qualidade delas.

Agora você já sabe como preparar suas mercadorias, mas e você, tá preparado?

O medo da Rejeição


Acho que todo mundo tem medo de como será recebido num ambiente novo onde não será o olhar de artistas sobre seu trabalho e sim dos fabulosos clientes, o publico que precisa de fato se interessar pelo o que você produz.

Eu fiquei um pouco assustada pois tenho a mania surreal de comprar tudo o que faço com outros e claro, me inferiorizando né. Na feira achei que ninguém iria comprar nada meu e que meu trabalho estava ruim, eu acabei colocando um preço muito baixo em comparação as outras mesas, não sabia mesmo se alguém pagaria por minha arte.

Dica! Seu trabalho é magnífico, então não desvalorize. Calcule seus gastos e faça um preço justo para você e seus clientes.

Depois que a feira foi aberta ao público, percebi que todos foram amados e rejeitados, terão pessoas que ficarão em love com seu trabalho e outras que olharão de longe e já mostrarão desinteresse. O problema não está com sua arte e nem com o cliente, na verdade não existe problema algum e sim uma questão de gosto.

Eu tive a felicidade de viver uma grande experiência sobre feiras, fiquei extremamente feliz em saber que pessoas de verdade se interessaram pela minha arte, muitas paravam pra olhar, mexiam, sorriam, ficavam em dúvida sobre o que levar.

Eu tive o amadurecimento de saber lidar com os olhares de desinteresse e saber que não é minha arte e nem o cliente, é o gosto de cada um. Não interessa se sua arte é digital ou tradicional, o gosto do cliente é particular, tudo o que você pode fazer é ser fabuloso e fazer tudo com amor.


Essa foi minha experiência com feiras, fiz uma mistura do que aprendi em ambas e detalhei neste posts minhas principais questões e dúvidas que aprendi na marra. Cada experiência será diferente, mas espero que este post dê uma pequena luz para quem está tão perdido quanto eu estava.

Comentários

back to top